Testosterone Replacement Therapy and Its Benefits - A Personal Report // Terapia de Reposição de Testosterona e seus benefícios - Um relato pessoal

This year I took an important step in my constant quest to understand my own health and how my own body works, and ironically towards something that until a while ago I had prejudiced eyes. The use of steroid hormones. Like a large part of the average population that does not have access or interest in finding out about the use of hormones and the reasons for such action, I thought of it as simply a "dopping", an incoherent and abusive search for a larger body. and above the natural. However, in parallel with this, I had been suspecting for some years that part of my problem (generally: health, aesthetic, psychological) was some hormonal imbalance, and probably a long-standing one. Not only caused by an often careless diet but possibly because of who I am, maybe my body just wasn't working properly with the required hormone production.

before_after_t_omc_1.jpg
Source

I've had the misfortune to humbly question a general practitioner (PAGO) about having blood tests to see my hormone levels, especially testosterone, and he laughed in my face, saying that a young man in his twenties shouldn't worry about thereby. And I ended up leaving it at that, until, finally, I thought it was time to go after this investigation that was rightfully mine. And by taking a blood test to measure my testosterone, I confirmed what I was already afraid of. She was low! And very low! After a while of pondering and researching the subject a lot, I finally thought about replacement treatment, but before that I did new tests to confirm it. And in fact, testosterone was even lower than on the previous test.


Source

And it was there that I started the process that for many is a watershed. I am still new to treatment, but I would like to bring some personal opinions and insights, as well as some basic information on the topic. First of all, I imagine that if every man took the test to measure his testosterone, he would find it below what it could be. At least when we talk about the common man, who does not have a balanced life and intense physical activities and quality food. In general we are doomed to be content with the basics. It is worth explaining here that testosterone is not a hormone focused on "getting muscle" or "becoming a female-eating alpha male", this hormone plays a role in a multitude of functions that are fundamental to our health. Fixing it has a lot more to do with "improving your general condition" than "taking risks".


Source

And the concept of taking risks only exists because, of course, there is a great focus on its use for supraphysiological bodily growth. That is, doses much larger than necessary to make your body giant, with training and supplements. Usually focused on this world of fitness and bodybuilding. Even though this is not my focus of interest, naturally when starting a treatment with the hormone, we end up being driven to change our lives. We feel more desire to make the body work, produce, improve. And it's easy to think about wanting a dose above the natural one since there are so many benefits, but then we get into the maxim: What distinguishes medicine and poison is the dose. An excess of exogenous testosterone can do some damage, especially in the long term.


Source

This text was an introduction based more on personal opinion and anecdotal account of my experiences with this replacement, but I intend to bring more detailed and scientific content soon, about the natural production of this hormone and the actions of exogenous replacement. The methods of use and so on. For today we have a good start on the subject. Thanks for your attention, reading and voting!

Research sources: 1, 2 and 3

Thômas H N Blum

separador_de_texto_1.png

PORTUGUÊS

Esse ano dei um passo importante em minha constante busca pela compreensão da própria saúde e do funcionamento de meu próprio corpo, e ironicamente em direção à algo que até um tempo atrás eu tinha olhares preconceituosos. O uso de hormônios esteroidais. Assim como grande parte da população média que não tem acesso ou interesse em informar-se sobre o uso de hormônios e os motivos para tal ação, eu pensava nisso como simplesmente um "dopping", uma busca incoerente e abusiva em busca de um corpo avantajado e acima do natural. Porém, em paralelo a isso, já fazia alguns anos que eu vinha desconfiando que parte de meu problema (em geral: saúde, estético, psicológico) era algum desequilíbrio hormonal, e provavelmente de longa data. Não só causado por uma alimentação muitas vezes descuidada mas possivelmente por que assim eu sou, talvez meu corpo simplesmente não trabalhava direito com a produção necessária hormonal.

before_after_t_omc_1.jpg
Source

Já tive a infelicidade de questionar humildemente à um médico clínico geral (PAGO) sobre fazer exames de sangue para ver meus níveis hormonais, principalmente de testosterona e ele riu da minha cara, dizendo que um jovem de vinte e poucos anos não deveria se preocupar por com isso. E acabei deixando por isso mesmo, até que, finalmente achei que era hora de ir atrás dessa investigação que era minha por direito. E ao fazer exame de sangue para medir minha testosterona, confirmei o que já temia. Ela estava baixa! E bem baixa! Depois de um tempo ponderando e pesquisando muito o assunto, cheguei a finalmente ponderar o tratamento de reposição, mas antes fiz novos exames para confirmar. E de fato a testosterona estava até mais baixa que no exame anterior.


Source

E foi ali que eu iniciei o processo que para muitos é um divisor de águas. Ainda sou novato no tratamento, mas gostaria de trazer algumas opiniões pessoais e percepções, além de algumas informações básicas sobre o tema. Primeiramente que imagino que se todo homem fizesse o exame para dosar sua testosterona, iria descobrir que está abaixo do que poderia estar. Ao menos quando falamos do homem comum, que não tem uma vida equilibrada e com intensas atividades físicas e alimentação de qualidade. Em geral estamos fadados a nos contentar com o básico. Vale explicar aqui que a testosterona não é um hormônio focado em "ficar musculoso" ou "tornar-se um macho alfa comedor de mulheres", esse hormônio tem participação em uma infinidade de funções fundamentais para nossa saúde. Corrigi-lo tem muito mais a ver com "melhorar seu estado geral" do que "arriscar-se".


Source

E o conceito de arriscar-se só existe por que, naturalmente, existe um grande foco em cima do seu uso para o crescimento corporal suprafisiológico. Ou seja, doses muito maiores que o necessário para tornar o seu corpo gigante, com treino e suplementações. Normalmente focado nesse mundo de fitness e bodybuilding. Mesmo não sendo meu foco de interesse, naturalmente ao iniciar um tratamento com o hormônio, acabamos sendo impulsionados a mudar de vida. Sentimos mais desejo de fazer o corpo trabalhar, produzir, melhorar. E é fácil pensar em querer uma dose acima do natural já que se notam tantos benefícios, mas aí entramos na máxima: O que distingue o remédio e o veneno é a dose. Um excesso de testosterona exógena pode fazer algum estrago, principalmente à longo prazo.


Source

Este texto foi uma introdução baseada mais em opinião pessoal e relato anedótico de minhas vivências com essa reposição, mas pretendo trazer um conteúdo mais detalhado e científico em breve, sobre a produção natural desse hormônio e as ações da reposição exógena. Os métodos de uso e assim por diante. Por hoje já temos um bom começo no tema. Obrigado pela sua atenção, leitura e voto!

Fontes de pesquisa: 1, 2 e 3

Thômas H N Blum



0
0
0.000
2 comments